Ansiedade em crianças: transtornos comuns e formas de lidar


Crianças podem apresentar quadros diferentes de ansiedade que merecem atenção e tratamento adequado


Medo e ansiedade são reações humanas normais e até necessárias, pois são parte de um mecanismo do corpo para identificarmos possíveis situações de ameaças. Existe um complexo processo, que envolve funções cerebrais e hormonais, e possibilita uma reação rápida, podendo levar a um comportamento de luta ou de fuga quando estamos diante de uma situação de perigo real e iminente. Já um transtorno de ansiedade trata-se de uma reação patológica de medo diante de um perigo que não é real ou tem não tem a magnitude interpretada pela pessoa.


Com as crianças não é diferente. Elas tendem a ser naturalmente mais medrosas do que adolescentes e sentem especialmente medo de coisas simples, como de se afastar dos pais e conversar com pessoas estranhas.


No início da nossa vida, dado nosso alto grau de vulnerabilidade, dependência e imaturidade, apresentar reações de medo e ansiedade é muito mais frequente do que quando nos tornamos adultos - e, na medida em que desenvolvemos uma compreensão mais realista do mundo e dos reais perigos, passamos a temer apenas situações de real risco.


Quando se preocupar com a ansiedade em crianças?


Para entender quando o medo é característico de um transtorno de ansiedade em crianças é preciso considerar a faixa etária em que ela está, o seu tempo de duração e os prejuízos e sofrimento associados. Uma criança na faixa de cinco a seis anos que não consegue se afastar dos pais de forma nenhuma, por exemplo, pode apresentar um transtorno chamado de Ansiedade de Separação.


Essa é uma situação esperada em uma criança de dois anos, mas que em uma criança mais velha, que está quase entrando na fase escolar, não é adequada. Este transtorno surge em crianças mais velhas, sendo menos presente em adolescentes e adultos, porém quando atinge idades maiores normalmente segue com outras complicações, como depressão, problemas de relacionamento, de autoestima e dificuldades escolares.


Outro transtorno de ansiedade que pode ocorrer em crianças é o Transtorno de Ansiedade Generalizado (TAG) que se caracteriza por medo e preocupação excessiva com diferentes situações e contextos, como uma briga entre os pais, notas ruins, doenças etc.

Crianças que sofrem de TAG costumam ser tensas, angustiadas e não conseguem relaxar. São também muito perfeccionistas e sensíveis a críticas e rejeição. Podem possuir baixa autoestima e um sentimento crônico de serem incapazes, além de serem muito propensas a apresentarem quadros depressivos.


Há também a fobia social que é um medo exagerado de situações de exposição social e que se diferencia da timidez pela intensidade em que ela ocorre, causando paralisação e esquiva de toda e qualquer possibilidade de se