Falta de ar (dispneia): o que pode ser, tipos e o que fazer


A falta de ar pode ser sinal de alerta para inúmeras doenças, incluindo condições respiratórias e cardíacas


O que é dispneia


A dispneia é o termo técnico utilizado para descrever a falta de ar e outros tipos de incômodos respiratórios, como a sensação de sufocamento ou aumento da frequência respiratória. Ela pode estar associada ou ser sintoma de outros problemas de saúde, principalmente condições cardíacas e pulmonares.


Falta de ar: o que pode ser?


A dispneia pode ocorrer devido a uma série de fatores. De acordo com a médica intensivista e pneumologista Alice Gallo de Moraes, é necessário que haja um contexto clínico para que seja feito o diagnóstico preciso. Porém, algumas das possíveis causas da dispneia são:


"Para a avaliação do sistema respiratório, usualmente são solicitados exames de função pulmonar (espirometria), exames de imagem e outros. Se a suspeita for sobre o coração, por exemplo, podem ser solicitados exames como ecocardiograma e teste ergométrico. Em alguns casos, a análise de variáveis sanguíneas também pode ser necessária", explica o médico pneumologista Vitor Codeço.


Sintomas


A falta de ar é um sintoma por si só, mas ela também pode estar acompanhada de outros sinais, como:


  • Pressão no peito

  • Tosse

  • Náuseas

  • Palpitações cardíacas

  • Confusão mental


Falta de ar à noite


De acordo com o pneumologista Vitor Codeço, a dispneia durante a noite pode estar associada a quadros de apneia do sono, que ocorre quando há roncos e pausas respiratórias observados por outra pessoa. Asma ou rinite alérgica também podem causar a dispneia noturna.


Se o problema ocorre sempre ao deitar, pode estar relacionado também a problemas cardiológicos. Em todos os casos, uma avaliação clínica detalhada é imprescindível para respostas e tratamentos adequados, já que outros motivos podem levar a tais sintomas.


Falta de ar com tosse e engasgo