Espinha interna – O que fazer quando aparecer uma


Sabe aquela espinha embaixo da pele que dói e incha? Essa é a espinha interna. Saiba o que fazer e também o que não fazer quando isso acontece.


A espinha interna é aquela que fica presa nos poros abaixo da pele. Por isso, o local fica inchado, dolorido e avermelhado. Tais sinais indicam uma inflamação que deve ser tratada com bastante cuidado.


Apesar da vontade de tirar aquela espinha dali, espremer uma espinha interna não é uma boa ideia, pois se houver bactérias no local, espremer só vai espalhar e piorar a infecção.

Em casos de espinhas externas, confira nossas dicas de como secar espinhas inflamadas rápido.


Confira abaixo nossas dicas sobre o que fazer para tratar a espinha interna e não prejudicar ainda mais a sua pele.


O que fazer com a espinha interna


Antes de mais nada, lembre-se de que uma espinha interna geralmente tem as seguintes características:

  • Atinge a camada interna da pele;

  • Não está visível, mas é palpável;

  • É uma acne do tipo nódulo-cística, ou seja, forma uma espécie de caroço na pele;

  • É dolorosa ao toque;

  • Apresenta pus.

Uma espinha interna pode aparecer por vários motivos, mas a principal causa são as mudanças hormonais que ocorrem no nosso corpo durante:

  • Adolescência;

  • Período menstrual;

  • Momentos de estresse.

Além disso, o excesso de oleosidade na pele e a presença de bactérias nos poros também contribui para alguns tipos de acne.


A acne abaixo da superfície da pele é uma inflamação. Por isso, o que você pode fazer para reduzir o inchaço e a dor incluem:


1. Aplicar uma bolsa de gelo


O gelo é útil no início da inflamação para reduzir o inchaço e controlar a inflamação. Além disso, ele tem um efeito entorpecente que alivia a dor.


Você pode usar o gelo por até 5 minutos sobre a espinha interna até 4 vezes por dia.


2. Usar uma compressa de água quente


Por outro lado, a compressa de água quente pode ajudar a espinha interna a sair da camada interna da pele. Isso acontece porque o calor ajuda a abrir os poros. E assim, o pus pode ir para a superfície da pele.


Para aplicar a compressa quente, você pode usar uma bolsa aquecida própria para isso ou molhar uma toalha limpa em água quente. Mas cuidado para não se queimar! A compressa quente pode ser usada por até 15 minutos no máximo 4 vezes ao dia.


É importante garantir que a pele esteja limpa para que o pus não cause uma nova infecção.


3. Comprar um adesivo para espinha inflamada


Existem adesivos ou curativos para espinhas que ajudam a tratar a acne. Eles podem ser obtidos em farmácias e um adesivo pode durar até 24 horas na pele.


Além de esconder a espinha, eles ajudam a remover o excesso de sebo local e a reduzir a inflamação.


4. Usar o óleo essencial de árvore de chá


De acordo com um estudo de 2017 publicado no The Australasian Journal of Dermatology, o óleo de árvore de chá pode melhorar a acne facial leve a moderada. Porém, não existem evidências suficientes para confirmar a eficácia do óleo.


Ainda assim, vale a pena tentar, pois o óleo não faz mal para a pele. Lembre-se apenas de verificar no rótulo se é preciso diluir o óleo de árvore de chá antes da aplicação.


O que não fazer com a sua espinha interna


Espremer qualquer tipo de espinha não é recomendado, pois isso pode piorar a inflamação ou espalhar a infecção.


Além disso, espremer a espinha aumenta o risco de surgimento de cicatrizes de acne e de outras manchas na pele.


Também não é recomendado:

  • Usar produtos secantes sem orientação de um dermatologista;

  • Automedicar-se;

  • Aplicar cremes medicamentosos sem prescrição médica;

  • Testar vários remédios caseiros de uma só vez.

Prevenção é o caminho


As espinhas geralmente surgem como resultado de acúmulo de sebo e bactérias nos poros. Por isso, a higiene e uma boa rotina de skin care são fundamentais para diminuir o risco de espinhas no rosto.


Sendo assim, as seguintes medidas preventivas podem ajudar bastante:

  1. Lavar o rosto duas vezes ao dia ou apenas quando estiver suado, pois a limpeza em excesso pode irritar a pele e causar espinhas internas;

  2. Evitar esfregar a pele para evitar irritações;

  3. Lavar fronhas e toalhas com frequência para remover células mortas e bactérias;

  4. Optar por produtos como cremes e maquiagens não comedogênicos, isto é, que não bloqueiam os poros;

  5. Manter a pele hidratada;

  6. Consultar um dermatologista se as espinhas internas são frequentes na sua pele.

Procurar um dermatologista pode ser importante para entender a causa da acne. Só ele poderá indicar um sabonete específico ou um outro tratamento para ajudar a tratar e prevenir espinhas internas.


Mesmo seguindo essas dicas, uma espinha (interna ou não) eventualmente vai aparecer no seu rosto. Mas, com uma pele limpa, hidratada e protegida, as chances de ter espinhas é muito menor.


Fonte: mundo boa forma

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo