Saiba como cuidar das tranças nagô


Se não forem cuidadas corretamente, as tranças nagô podem causar alopecia por tração


A trança nagô - ou trança raiz, como também é conhecida -, é uma técnica de trançado feita bem rente à base dos fios do cabelo, estendendo-se por todo o comprimento. É possível realizar esse trançado de dois jeitos: utilizando somente o cabelo natural ou com a adição de fios de fibra sintética. A segunda opção é a mais utilizada.


Por causa da proximidade com o couro cabeludo, e também por tensionar os fios, a aplicação incorreta ou o mal cuidado das tranças nagô pode causar alopecia por tração.


Este é um tipo de queda de cabelo causado por um processo inflamatório no couro cabeludo. Ela pode até mesmo destruir o folículo capilar definitivamente.


Esse tipo de perda de cabelo é mais comum entre as mulheres negras, como relata a dermatologista Julia Rocha, especialista em doenças do cabelo.


"As mulheres negras são comumente acometidas, em função do uso ininterrupto de penteados apertados, como as tranças, e adornos - como os turbantes -, que simbolizam uma conexão importante com a ancestralidade, e relacionam-se fortemente ao processo de empoderamento de muitas pessoas", elucida a médica.

Apesar de ser mais recorrente entre pessoas negras, esse problema pode atingir a todos. "O uso de rabos de cavalo apertados e extensões capilares, como mega hair, também podem desencadear o quadro", ressalta a dermatologista.


Os cuidados com as tranças independem da curvatura do fio. Mas tem um fator que deve ser considerado antes do trançado: a força do cabelo. "Quanto maior for a fragilidade dos fios e menor a densidade dos mesmos, estaremos diante de uma maior probabilidade do desenvolvimento da alopecia por tração", pontua Julia Rocha.


Para curtir o penteado mantendo a saúde do couro cabeludo, veja a seguir como cuidar corretamente das tranças nagô e evitar a alopecia por tração.


Como evitar alopecia por tração usando trança nagô


A alopecia por tração acontece, geralmente, na parte frontal da cabeça, próximo à testa. A dermatologista Nandara Paiva explica o motivo.


"As áreas de rarefação acontecem principalmente na frente, na implantação do cabelo. Nessa região da têmpora, realmente, nós temos menos fios. Mas não é só isso, a tração ali geralmente é maior".


Essa tração gera um processo inflamatório, que pode destruir os folículos, gerando a alopecia por tração - ou alopecia cicatricial, com também é chamada.


Para evitar que essa tração das tranças nagô resulte na queda permanente do cabelo, as dermatologistas recomendam algumas ações:

  • Evite penteados com a trança nagô muito apertados (como coques no topo da cabeça e rabos de cavalo)

  • Priorize tranças mais curtas e com materiais mais leves

  • Na hora de fazer, tente não deixar a base das tranças muito apertada

  • Faça intervalos entre tirar e colocar novamente as tranças com o cabelo natural

  • Não fique muito tempo com as mesmas tranças

  • Fique atento aos sinais - "espinhas" no couro cabeludo, descamação, vermelhidão, desconforto e dor de cabeça. Isso indica que a tração está em excesso, e caracterizam as fases iniciais da alopecia de tração.

Caso perceba algum desses desconfortos no couro cabeludo, a recomendação é que procure imediatamente um especialista.


"É exatamente nesse estágio que o diagnóstico correto torna-se essencial, para que a paciente receba as devidas orientações e que o dano ainda se configure como reversível. Não evoluindo posteriormente para uma alopecia cicatricial", finaliza a dermatologista Julia Rocha.


Como dormir com tranças?


Para a dermatologista Nandara Paiva, a melhor forma de dormir com as tranças é com elas soltas dentro de uma touca de cetim, principalmente se elas forem maiores.


Isso porque, ao deitar e pressionar essas tranças, caso você se movimente, a força que está sendo feita no couro cabeludo é intensificada. E isso pode acelerar o processo de alopecia por tração.


É importante que as tranças não estejam úmidas ou molhadas na hora de dormir.


Quando tirar as tranças?


Até o momento, não existe nenhum estudo científico que indique o tempo apropriado para permanecer com as tranças nos cabelos, nem que diga quanto tempo depois de retirar as tranças pode colocá-las novamente, sem chances de ocorrer danos.


Na dúvida, a dermatologista Nandara Paiva sugere que o tempo de permanência com as tranças nagô seja de no máximo três semanas. "Isso é super importante para que não tenha uma fibrose do couro cabeludo", alerta a médica.


Como lavar o cabelo com tranças nagô


A higienização das tranças é parecida com a do cabelo natural. Confira as dicas dadas pelas especialistas:

  • Lavar ao menos uma vez por semana

  • Usar shampoo e condicionador

  • Usar água fria

  • Secar com uma toalha de algodão.

"Recomendamos apenas diminuir o uso da máscara, pois será aplicada diretamente no couro cabeludo, podendo aumentar a oleosidade", completa a médica Nandara.


As tranças levam mais tempo para secar por causa da fibra sintética. Por isso, a trancista Liza Tavares dá duas dicas que podem facilitar esse processo. "O ideal é lavar durante a manhã, para poder secar naturalmente. No caso das tranças soltas (box braids), pode ter o auxílio do secador, mantendo uma certa distância pra não derreter a fibra".


É fato, quem tem cabelo cacheado quase não vive sem creme hidratante! Mas na hora de cuidar das tranças nagô, ele não é um bom aliado.


De acordo com a trancista Liza Tavares, não é aconselhável utilizar nenhum tipo de finalizador, pois o excesso de resíduos pode levar a coceira do couro cabeludo, e danificar as tranças antes do tempo.


Fonte: minha vida

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo