Xantomas: conheça as causas dos depósitos de gordura na pele


Alterações no metabolismo de gorduras no organismo podem levar a essas manifestações cutâneas


Você sabe o que são xantomas? Eles são manifestações cutâneas que podem indicar alguma alteração sistêmica no organismo, como as dislipidemias. Em formato de vesículas que surgem na pele, essas manifestações cutâneas, na verdade, acontecem pelo acúmulo de lipídeos no interior de células que ficam localizadas na pele.


"Os xantomas são manifestações que podem ocorrer devido ao aumento do colesterol, dos triglicérides ou por causa de um colesterol HDL muito baixo", explica Maria Cristina Izar, diretora de promoção e pesquisa da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).


"Eles representam células inflamatórias com acúmulo de gordura - os macrófagos - e esse acúmulo de gordura subcutânea se manifesta por essas lesões de pele", explica

Há diversos tipos de xantomas, como os eruptivos, tuberosos, tendinosos, vegetantes, planos, e o xantelasma. Identificar essas alterações de forma precoce é importante, pois, como a razão é o excesso de gordura (lipídeos) em circulação, pode haver consequências sérias se a causa base não for identificada e devidamente tratada .

Essas consequências podem se manifestar desde uma pancreatite causada pelo excesso de triglicerídeos em circulação como até mesmo um infarto, provocado pelas consequências da quantidade exagerada de colesterol no sangue ao longo do tempo.


No caso da Hipercolesterolemia Familiar (HF), uma doença genética em que os níveis de colesterol chegam a níveis muito altos e podem provocar um infarto precoce, os xantomas são um sinal de alerta, já que é uma doença silenciosa e frequentemente descoberta apenas depois da realização de exames de sangue - quando não em sua consequência mais grave, o infarto do miocárdio.


"O xantoma na HF, em geral, também é um depósito de colesterol, mas normalmente nos tendões, como o tendão calcâneo ou o tendão de Aquiles. Pode acontecer uma protuberância, ou pode surgir somente um espessamento no tendão, sendo que algumas vezes isso é doloroso e pode se assemelhar a uma tendinite. Pode acontecer também em outros tendões, como nos punhos, cotovelos e dedos das mãos", explica Maria Cristina.


A médica detalha que há diferenças entre xantomas causados pelas diversas condições que os provocam, como o xantoma palmar em decorrência do colesterol HDL baixo. "Há diferenças, mas todos são acúmulos de gordura em tecidos onde eles não deviam estar, como dentro de células inflamatórias (macrófagos)", conta.


Síndrome da Quilomicronemia Familiar


Os xantomas também podem aparecer quando há a presença da Síndrome da Quilomicronemia Familiar (SQF), uma doença também genética, porém rara - ela atinge em média uma pessoa em cada 1 milhão.


A SQF afeta gravemente o metabolismo de gorduras do organismo e faz com que os triglicérides não consigam ser metabolizados e se acumulem em grande quantidade no sangue. Por isso, todo xantoma deve ser investigado, já que há possibilidade de ser em consequência de uma doença que pode trazer danos à saúde.


"Nas hipertrigliceridemias [como a SQF] podem acontecer os xantomas eruptivos. Esses xantomas têm uma característica interessante porque eles podem aparecer subitamente e desaparecer rapidamente com uma dieta restrita em gorduras", explica Maria Cristina.

"Tratando a hipertrigliceridemia ou afastando outras condições secundárias, como diabetes e abuso de álcool, eles podem desaparecer em poucas semanas".


O xantoma eruptivo normalmente acontece quando os níveis de triglicérides em circulação estão acima de 3.000 mg/dl.


Quando se trata da SQF, se os níveis de triglicérides sanguíneos não forem minimizados rapidamente, há também um aumento do risco de pancreatite aguda, uma grave inflamação no pâncreas que pode levar à morte caso não tratada em tempo hábil.


Na SQF, os xantomas podem surgir em diversas partes do corpo, como no abdômen, nas nádegas, nos braços, nas costas e também na parte posterior das coxas.


Como tratar?


Ao notar algum tipo de alteração ou erupção na pele, o primeiro passo é, sem dúvida, consultar um médico. Ele é o especialista que poderá solicitar exames específicos para entender a razão do surgimento dos xantomas.


No entanto, para que os xantomas causados pelo excesso de gordura sejam resolvidos, o tratamento é feito por meio da redução de gordura circulante no sangue. No caso da Hipercolesterolemia Familiar (HF), a forma de tratar é através do controle do colesterol, sendo que diversos medicamentos podem fazer esse papel.


"O tratamento pelo xantoma provocado pela HF se faz lentamente ao longo da vida. É possível retardar a progressão e até promover uma certa regressão em longo prazo, mas com tratamentos intensivos para o colesterol", explica Maria Cristina.


Quando o assunto é a SQF, o controle deve ser feito por meio de uma dieta restrita em gorduras, já que atualmente no Brasil ainda não há medicamentos específicos para o tratamento dessa alteração genética.


A dieta é importante justamente porque as pessoas com essa alteração nos genes não conseguem metabolizar os triglicérides que são ingeridos por meio da alimentação, o que faz com que eles se acumulem em uma quantidade alta no sangue, o que pode justamente levar à pancreatite aguda e aos xantomas eruptivos na pele .


"Os xantomas eruptivos respondem muito bem à dieta restrita em gorduras", explica Maria Cristina.


Para entender melhor, a dieta de uma pessoa que não tem alterações genéticas que afetam o metabolismo de gorduras no organismo pode incluir de 30% a 35% das calorias diárias necessárias em forma de gordura, pois essa quantidade não traz danos à saúde. Já para quem tem SQF, esse valor passa a ser de 10% a 15% do máximo de calorias permitidas diariamente.


Depois do diagnóstico da SQF por um médico, quem faz a prescrição e acompanhamento da dieta adequada para cada paciente é o nutricionista. A dieta deve sempre conter todos os grupos alimentares de forma que forneça as vitaminas, minerais e outros nutrientes importantes para o desenvolvimento e manutenção da saúde.


Quem tem SQF, por exemplo, não deve consumir açúcar refinado e álcool, além de priorizar carboidratos complexos, ingerir na quantidade adequada ácidos graxos essenciais (ômegas 3 e 6), bem como as vitaminas lipossolúveis (A, E, D e K)9,10 .


Por isso, a dieta de quem tem SQF deve ser composta de grãos integrais, legumes, verduras, frutas com bastante moderação, proteínas magras e leites ou derivados lácteos desnatados sem adição de açúcar.


Seguir a dieta com rigor é importante para que os xantomas não apareçam e, principalmente, para evitar a complicação mais grave da SQF: a pancreatite aguda.


Fonte: minha vida

24 visualizações0 comentário