Menu Rápido
Orçamento Rápido
Endereços e Contatos

Orçamentos: farmacia@cedroni.com.br

 

11 2764.3700 | 11 3277-3753

WhatsApp 11 99350-7997

0800 7733 700

 

Consultoria Técnica Farmacêutica

11 2764-3747

farmaceutica@cedroni.com.br

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram

Copyright © 2019 - Todos os Direitos Reservados - Farmácia Cedroni - Desenvolvido por Acasadearte 

Excesso de TV e redes sociais pode causar ansiedade em jovens, diz estudo

Por outro lado, a mesma pesquisa indica que maneirar no tempo gasto em frente às telas parece melhorar a saúde mental dos adolescentes


Passar horas nas redes sociais ou maratonando uma série virou quase uma regra entre os adolescentes de hoje — e entre adultos também, vale dizer. Só que o exagero pode causar danos à saúde mental, como indicam vários estudos. Um dos mais recentes, publicado no Canadian Journal of Psychiatry, aponta que o ato de passar muito tempo em frente às telas está relacionado a um crescimento da ansiedade em jovens.


A pesquisa acompanhou, por quatro anos, 3 826 voluntários entre 12 e 16 anos.


Anualmente, eles reportavam quanto usavam celular, televisão, videogame e computador. A turma respondia ainda um questionário sobre os próprios sintomas de ansiedade (como se sentir tenso ou ficar subitamente apavorado sem motivo).


Com todas essas informações em mãos, os cientistas descobriram que, quando os adolescentes aumentavam em uma hora o tempo médio gasto mexendo nas redes sociais no celular, usando o computador ou vendo TV, também começavam a relatar mais quadros de ansiedade. Esse fenômeno não foi observado com os videogames e não parece ser duradouro.


A moderação afasta a ansiedade


Como a análise levou em conta as mudanças de comportamento ano a ano, os pesquisadores conseguiram perceber que, na contramão, reduções no uso de telas estavam associadas a menos tensão. Os especialistas por trás do artigo já tinham feito um experimento com resultados parecidos, mas avaliando indícios de depressão.


“Os estudos mostram como prevenir e reduzir sintomas de ansiedade regulando o tempo em frente às telas digitais”, disse à imprensa Patricia Conrod, psiquiatra da Universidade de Montreal e líder do trabalho.


Telas digitais e saúde mental


A pesquisa canadense considerou outros fatores de risco que deixariam o jovem vulnerável à ansiedade, como situação socioeconômica e gênero. Ainda assim, as telas se mostraram mais relevantes do que esses pontos.


A ciência agora precisa se aprofundar nos motivos por trás desse elo. Por exemplo: não se sabe se celular, televisão e computador prejudicam a mente por si sós, ou se as pessoas que recorrem mais a eles têm algum quadro não diagnosticado.


De qualquer maneira, há outras ameaças para o bem-estar quando aparelhos eletrônicos como esses dominam a vida. Nas crianças, suspeita-se de prejuízo no desenvolvimento motor, cognitivo e emocional.


Já nos adultos, a ansiedade e o estresse também dariam as caras com maior frequência. Use com moderação.


Fonte: saude.abril

2 visualizações