Pigarro na garganta – Causas e o que fazer


É comum ter pigarro na garganta de vez em quando, mas às vezes pode ser um sinal de alerta. Conheça então as causas e o que fazer com essa irritação na garganta.


A sensação de ter algo preso na garganta ou de sentir a garganta coçando é o que causa o pigarro. Em muitos casos, realmente existe um excesso de muco que causa irritação e a vontade de “limpar a garganta” através de um pigarro.


Mas, em algumas situações, o pigarro é apenas uma forma de chamar atenção ou até mesmo um tique nervoso.


De qualquer forma, é importante investigar a causa desse hábito, pois o pigarro crônico pode danificar as cordas vocais e trazer uma série de problemas.


Causas de pigarro na garganta


Ter um pigarro de vez em quando é natural, mas se isso já se tornou um hábito, preste atenção nas possíveis causas:


Refluxo


Algumas pessoas têm pigarro por causa do refluxo ácido. Assim, quando o alimento volta do estômago para o esôfago, surge a sensação de algo entalado no estômago. Em seguida, vem o pigarro na tentativa de retirar o que está preso na garganta.


Além disso, é possível sentir outros sintomas como a azia e a queimação.


Desidratação


A falta de hidratação na garganta pode causar a sensação de irritação. De fato, se a garganta está seca, é provável que você sinta um desconforto que leva ao pigarro. Nesse caso, a solução é simples e você pode começar agora mesmo: beba muita água!


Gotejamento pós-nasal


Toda vez que ficamos com gripe ou resfriado, o corpo produz muco em excesso para eliminar o vírus das vias respiratórias. Em alguns casos, a pessoa sente parte dessa secreção escorrendo pela garganta – o que instintivamente causa o pigarro na garganta.


Neste caso, o pigarro é passageiro e dura apenas alguns dias até a infecção ir embora. É comum observar também outros sintomas, como por exemplo:

  • Tosse que piora a noite;

  • Mau hálito ou gosto ruim na boca;

  • Garganta inflamada ou dolorida;

  • Náusea ou mal-estar.

Alergia


Uma alergia respiratória também pode causar gotejamento pós-nasal e pigarro na garganta. Mas, nesse caso, o pigarro pode durar ainda mais tempo dependendo do tipo de alergia que você tem.


Descobrir a causa da alergia e iniciar o tratamento é fundamental para eliminar pigarros desnecessários.


Tique motor crônico


Algumas pessoas têm tiques nervosos que se manifestam como movimentos ou comportamentos involuntários.


Por isso, quando o pigarro é persistente e não é possível encontrar outra causa, é importante avaliar se o pigarro não é apenas um hábito que se tornou incontrolável.

Aliás, pessoas que sofrem de transtorno de tique motor crônico podem desenvolver outros sintomas repetitivos, como por exemplo:

  • Movimentos incontroláveis das pernas, braços ou outra parte do corpo;

  • Caretas no rosto;

  • Hábito de piscar sem parar;

  • Sons involuntários como gemidos e grunhidos.

Nestes casos, é interessante procurar um terapeuta para ajudar a controlar esses hábitos.


Uso de remédios


Alguns remédios – como por exemplo os remédios para tratar a pressão alta – podem causar congestão e gotejamento pós-nasal. Como resultado, a pessoa começa a sentir necessidade de limpar a garganta com mais frequência.


De acordo com uma pesquisa de 2014 da revista BMJ Case Reports, até 15% das pessoas que usam inibidores da ECA para hipertensão desenvolvem tosse – que pode levar ao pigarro na garganta.


Crescimentos anormais das cordas vocais


É possível o desenvolvimento de pólipos, nódulos ou cistos nas cordas vocais. Esse aumento anormal pode causar irritação e levar ao hábito de limpar a garganta.

Aliás, o cigarro é um dos grandes responsáveis por esses crescimentos anormais que podem evoluir para doenças graves como o câncer.


Sintomas adicionais que podem ocorrer incluem:

  • Voz rouca;

  • Falta de ar;

  • Dor ou desconforto para falar;

  • Tosse seca frequente.

O que fazer para diminuir o pigarro na garganta


Muitas vezes, o pigarro na garganta é apenas um hábito inofensivo. A fim de reduzir o pigarro e evitar danos à garganta e às cordas vocais, as dicas a seguir podem te ajudar:

  1. Beba bastante água;

  2. Faça nebulizações para hidratar a garganta e as vias aéreas;

  3. Consuma mais líquidos saudáveis como chás;

  4. Use um umidificador em casa;

  5. Faça gargarejos com água salgada.

Caso você suspeite de uma infecção, alergia, refluxo ou quaisquer outras doenças, procure um médico para te avaliar. O pigarro crônico, junto com outros sintomas, pode indicar doenças pulmonares e condições sérias de saúde que precisam de tratamento com remédios.


Por isso, ao notar que o pigarro na garganta está acontecendo com frequência ou vem acompanhado de outros sinais, não hesite em procurar orientação médica.


De fato, pigarros constantes podem incomodar e prejudicar a qualidade de vida. Mas, na maioria dos casos, esse é apenas um comportamento que fazemos sem perceber e que de vez em quando não faz mal algum.


Fonte: mundo boa forma

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo