Tipos de estrias e melhores tratamentos


Roxas, vermelhas e brancas. Existem estrias de todas as cores, não é mesmo? Então, saiba quais são os tipos de estrias e os melhores tratamentos.


Apesar de não ser um problema de saúde, as estrias podem incomodar bastante do ponto de vista estético.


A estria é uma cicatriz que pode ocorrer na pele como resultado da perda de colágeno e de elastina. Além disso, estrias podem surgir quando nossa pele estica muito de forma súbita – como quando ganhamos peso ou durante a gravidez, por exemplo.


Aliás, é essencial lembrar que a estria é um processo de cicatrização da pele. Para qualquer boa cicatrização, é importante ter uma dieta que favoreça esse processo. Por isso, conheça os alimentos que prejudicam a cicatrização e evite-os durante o tratamento da sua estria.


Além da variação de cores, as estrias podem ser diferentes em outros aspectos – como o local em que aparecem. De fato, identificar essas diferenças e saber o tipo de estria que você tem faz toda a diferença no tratamento.

Tipos de estrias


Em geral, uma estria passa por vários estágios com o passar do tempo.

Sendo assim, é possível saber se uma estria é recente ou mais velha apenas observando suas características.


A principal forma de classificar uma estria é por meio da causa e do tempo que ela existe na pele. Levando isso em conta, podemos ter 3 tipos principais de estrias: as jovens, as antigas e as gravídicas.


1.Estrias jovens ou estrias rubras


A estria jovem ou rubra é aquela mais nova. Na maioria das pessoas, essas estrias surgem na cor vermelha ou roxa.


Além disso, as estrias recentes são bem mais fáceis de tratar.


2. Estrias velhas ou striae albae


A striae albae é aquela mais antiga que está no corpo há um certo tempo. Elas geralmente são mais claras.


Conforme o tempo passa e a estria não é eliminada, sua cor vai ficando mais clara até ficar branca. Por isso, as estrias brancas são as mais difíceis de tratar.


3. Estrias gravídicas


Esse tipo de estria é observado em grávidas durante ou após a gestação. As estrias gravídicas surgem por causa do aumento rápido da barriga que exige um grande esforço da pele.


Além da barriga, os seios também podem ser afetados por esse tipo de estria.

Aliás, não deixe de conferir como evitar as estrias na gravidez.


Outras características das estrias


As estrias também podem ser atróficas (apenas uma linha na pele) ou hipertróficas (quando a estria fica em relevo na pele ou quando a pele enruga).


As estrias costumam aparecer nos locais da pele que esticam mais. Assim, as regiões da pele que mais sofrem com as estrias são:

  • Braços;

  • Pernas;

  • Seios;

  • Barriga;

  • Glúteos;

  • Costas.

Melhores tratamentos para estrias na pele


De acordo com a American Academy of Dermatology Association, quanto antes você iniciar o tratamento da sua estria, melhores são as chances de o tratamento dar certo. Assim, procure experimentar os tratamentos indicados quando sua estria ainda estiver vermelha ou roxa.


Certamente, nada impede que você faça um tratamento para estrias mais antigas, mas o resultado pode demorar mais para chegar ou nada pode acontecer.


Além disso, é importante lembrar que as estrias são cicatrizes na pele que são bem difíceis de tratar. Por isso, nenhum tratamento disponível até agora é 100% eficaz.


A ideia de um tratamento para estria é suavizar a cor e melhorar a textura e aparência das estrias para que elas fiquem menos perceptíveis – já que não há um tratamento definitivo para elas.


Os tratamentos mais indicados para as estrias são:


1. Creme retinoide


Cremes retinoides ou o próprio ácido retinoico são ótimos para estrias. A tretinoína, por exemplo, é um retinoide que funciona bem para tratar estrias mais jovens.


Na hora da aplicação, certifique-se de massagear bem o local e de usar o creme diariamente durante algumas semanas. Para saber exatamente como usar, leia o rótulo do produto ou procure um dermatologista.


No entanto, o creme retinoide não é indicado para mulheres grávidas devido ao risco de efeitos colaterais. Por isso, confira quais são os cremes para estrias na gravidez.

Além da tretinoína, o ácido hialurônico também parece ser bom para eliminar estrias jovens.


2. Peeling químico


O peeling para estrias é um método de esfoliação que envolve o uso de um produto que potencializa o tratamento. Em geral, é usado algum ácido – como o ácido tricloroacético, o ácido retinoico ou a vitamina C, por exemplo.


Ao massagear o ácido na pele, ela vai começar a descamar. Com o tempo, isso estimula o crescimento de uma nova camada na pele que deve substituir ou suavizar a estria.


3. Microdermoabrasão


Esse procedimento também é um tipo de esfoliação que envolve o uso de um dispositivo com microagulhas que estimulam a renovação celular da pele.


De fato, esse tipo de tratamento serve para estimular a produção de fibras de colágeno – o que faz com que ela fique mais elástica e bonita, e claro, com estrias menos vísiveis.


4. Terapias de luz e laser


Os procedimentos que envolvem laser ou luz intensa pulsada tendem a gerar bons resultados nas estrias. A energia dos feixes de luz estimula a produção de colágeno e de elastina na pele, o que ajuda a suavizar as marcas deixadas pela estria.


Certamente, existem outras opções que seu dermatologista pode te indicar de acordo com o seu tipo de pele e tipo de estria. Por isso, não deixe de consultar um profissional.


Fonte: mundo boa forma

8 visualizações0 comentário